Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

13 de dezembro de 2006

Vegetarianas usam biquíni de alface no Cazaquistão



Usando apenas biquínis de folhas que imitam alface, duas ativistas britânicas pelo direito dos animais enfrentaram o frio na terça-feira para pedir aos moradores do Cazaquistão que parem de comer carne de cavalo e se tornem vegetarianos.

O Cazaquistão ganhou fama mundial nos últimos meses por ser a suposta terra natal do comediante Borat, um repórter fictício da TV britânica. A notoriedade acabou levando a entidade Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais (Peta) a fazer a campanha contra o consumo de carne no país.

"Enquanto Borat ridiculariza o país, estamos tentando vir aqui com uma mensagem positiva", disse Yvonne Taylor, de 35 anos, à Reuters. "Estamos dizendo que virar vegetariano é a melhor coisa que as pessoas podem fazer pela saúde delas e para impedir o sofrimento de animais."

A culinária cazaque é quase totalmente baseada na carne. A lingüiça de cavalo e a cabeça de ovelha são consideradas iguarias, além de a carne de cordeiro e miúdos fazerem parte da alimentação do dia-a-dia.

De salto alto e biquínis feitos de folhas de alface de plástico, Taylor e Lucy Groom, de 27 anos, tremiam de frio ao segurar seus cartazes em Almaty, com a temperatura pouco acima de zero.

"Temos sistemas imunológicos mais fortes porque somos vegetarianas", disse Taylor aos repórteres, que vestiam casacos e sobretudos pesados.

Os transeuntes reagiram de formas diferentes à manifestação.

"Acho que elas estão incentivando as crianças a comer verduras, e aí tudo bem", disse Tursunai, uma professora.

Mas a aposentada Maria Amantayeva não gostou. Para ela, o único problema da carne no Cazaquistão é que ficou cara demais. "Os cazaques comem carnes há gerações e gerações e muitos viveram até os 90 ou 100 anos", disse. "Por que os homens são tão fracos hoje em dia? É porque eles não comem carne suficiente."




As matérias do G1 e do Terra foram copiadas da Reuters.

Uma das coisas mais velhas do mundo são esses biquinis de alface americana que mais parecem duas peças feitos de repolho. E toda vez que acontece, dá mídia. Impressionante. Imagino que a maioria dos jornalistas seja vegetariano.
Por falar nisso, não entendo por que os ativistas ecológicos adoram ficar nús. Qualquer protesto e lá estão eles, totalmente pelados. Eu acho que no fundo eles não são ativistas são nudistas.
Por alguma razão, o ser humano tem essa necessidade de ficar pelado para protestar.
Deve ser porque a revolta faz sair fogo de algum lugar.


Comentário da Rosana Hermann.

E aí, Raissa, o que você faria pelo vegetarianismo?
Postar um comentário