Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

16 de maio de 2011

Desinibição

Tenho essa mania doente e compulsiva de anotar coisas interessante em papeis e esquecê-los em gavetas. Felizmente gosto de pesquisar essas coisas e blogar sobre elas. Eu tinha escrito assim em um caderno "5x17 House desinibição". Na mesma hora veio o porque: tratava-se de um episódio de House, o décimo sétimo da quinta temporada, no qual um paciente não filtrava o que dizia. Era sempre a verdade, o que ele sentia, ele não conseguia controlar o que falava e acabava magoando as pessoas ao seu redor.


Fui rever o episódio para ver que doença era aquela. Desinibição do lobo frontal. Googlei.

O Lobo Frontal relaciona-se com a regulação e inibição de comportamentos e a formação de planos e intenções. As alterações provocadas no lobo frontal teriam como consequência dificuldades de atenção, concentração e motivação, aumento da impulsividade e da desinibição, perda do autocontrole, dificuldades em reconhecer a culpa, desinibição sexual, dificuldade de avaliação das consequências das acções praticadas, aumento do comportamento agressivo e aumento da sensibilidade ao álcool (sintomas positivamente correlacionados com o comportamento criminoso), bem como incapacidade de aprendizagem com a experiência (sintoma correlacionado positivamente com a elevada incidência de recidivas entre alguns tipos de criminosos). (Fonte)

O pior dessa desinibição é que o paciente tinha consciência do que tava falando, sabia que estava tratando mal os outros a troco de nada, mas não conseguia se controlar. Isso deve gerar uma angustia muito grande.

O nome desse episódio era "O Contrato Social". Se baseia em teorias filosoficas de Thomas Hobbes, John Locke e Jean-Jacques Rousseau. Significa que:

O contrato social seria um acordo entre os membros da sociedade, pelo qual reconhecem a autoridade, igualmente sobre todos, de um conjunto de regras, de um regime político ou de um governa (Fonte)

No episódio há essa quebra no Contrato Social no sentido de viver em sociedade. O paciente já não se adequa ao ambiente em que vive, por isso não é bem visto pelos outros. Por isso o paciente assume o "Estado de Natureza", um termo usado pelos filósofos que se opõe ao contrato. Ele diz o seguinte:

As ações dos indivíduos estariam limitadas apenas por seu poder e sua consciência. Desse ponto em comum, os proponentes das teorias do contrato social tentam explicar, cada um a seu modo, como foi do interesse racional do indivíduo abdicar da liberdade que possuiria no estado de natureza para obter os benefícios da ordem política (Fonte)




Sobre o episódio, tem mais coisas interessantes para comentar:

Se referiram a Phineas Gage, um operário americano que, num acidente com explosivos, teve seu cérebro perfurado por uma barra de metal, sobrevivendo apesar da gravidade do acidente. É considerado um dos primeiros casos no qual a lesão do lobo frontal alterou a personalidade, emoções e a interação social. Igual ao paciente do episódio.

Outro nome citado na história é o de Cyrano de Bergerac. É uma referência a Taub, pois este dramaturgo francês que viveu no século XVII é caracterizado por ter um nariz enorme.

O toque do celular de House é uma canção dos Hansons: MMMBop

Não lembrava disso, mas Wilson tem um irmão: Daniel WIlson. Um rapaz com problemas psiquiátricos.


Por fim, a lição que fica é: as pessoas acham que conhecem as outras pessoas (amigos, famílias, colegas), mas não se iluda. Não conhece. Ninguém conhece. Vivemos de aparências. Pra quem assistiu/leu V de Vingança, faz todo sentido. Todos escondemos nossas verdadeiras personalidades/intenções por trás de uma máscara.
Postar um comentário