Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

30 de maio de 2011

Fardamento obrigatório


Há muito tempo atrás eu falei sobre o fardamento obrigatório nas escolas. Relembrando: eu disse que a função principal era mascarar as diferenças sociais durante a infância e adolescência, para que todos se sintam iguais.

Hoje eu estava pensando no mesmo assunto e, saindo do âmbito das escolas e indo para as universidades (principalmente as federais), não há mais essa obrigatoriedade do fardamento. Penso que é porque todos estão lá merecidamente por suas capacidades intelectuais/acadêmicas. As pessoas já são mais maduras e, teoricamente, não ligam tanto para as roupas que você veste ou sua origem social, mas sim as suas idéias.

Seria então mais fácil para uma pessoa que não tenha passado no vestibular assistir de GAIATO a uma aula em uma universidade. Por que as pessoas não fazem isso? Será que elas sentem que estão eticamente erradas? Será que se o fardamento no ensino fundamental e médio não fosse obrigatório, os pais enviariam seus filhos DISFARÇADOS para um colégio melhor? Será que tudo é uma questão de ter um papel certificando que você concluiu um curso? O conhecimento obtido é menos importante que um DIPLOMA?

(Sim, eu sei que existem listas de chamadas e todas essas coisas para verificar se o aluno pertence ou não a instituição, mas nem todos os professores fazem a chamada e como já vi gente entrar em uma sala sem fazer parte da turma, percebi também que os alunos não ligam, desde que tenham carteiras para se sentar. Estou só propondo um exercício de imaginação) .
Postar um comentário