Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

6 de maio de 2011

A História de Satanás

O documentário "The History of Devil" trata da importância do Demônio na nossa cultura, mostrando suas diversas faces ao longo da história.

De início, no livro de Jó da Bíblia, Satã era apenas um anjo a serviço de Deus. Seu nome significava "o acusador", porque ele era quem realizava o TRABALHO SUJO! Foi ele que atormentou o pobre Jó, coitado.


Naquela época o politeísmo era muito comum, mas um rapaz chamado Zoroastro resolveu simplificar as coisas e juntar todos os deuses BAD BOYS sob a personificação de um só: Ahriman. Os deuses GENTE FINA são representados por Ahura Mazda. Nascia aí o dualismo. Bem contra o mal. Cada um que tome seu partido!


Então você escolhe quem seguir, mas e daí? O que tem demais? Nada. Pois o Inferno não havia sido inventado até então. E onde foi que ele surgiu? Lá em Jerusalem, óbvio. Havia um lixão bem fedorento por lá, chamado Guerrena (também escrito como Geena ou Gehenna). Como ninguém gosta de mal cheiro, os JERUSALIANOS tocavam fogo de vez em quando no local. Era uma fumaceira pra todo lado que durava dias e as vezes até semanas! Além do lixo comum, eram queimados no local os corpos de criminosos que tinham sido executados. E aí já viu, né? A galera começa a inventar lendas e mistérios sobre o local e ele acaba se tornando bem sobrenatural. E surge o Inferno!


Na idade média, os JERUSALIANOS passavam por maus bocados: o Império Romano DESCIA O SARRAFO neles. Criou-se um antagonismo com o imperador Nero (sim, aquele). Começaram a chamar o rapaz de cada nome feio: filho de uma quenga! besta! dragão! As moedas cunhadas por Roma tinham a cara e o nome de Nero. Algum numerólogo disse que se você contasse os valores numéricos das letras de NERO CAESAR surgiria um 666. Não sei como chegaram a essa conclusão! Vamos fazer um teste?


Pronto! Fácil, hein? Difícil teria sido se o Coisa-ruim tivesse surgido no Brasil na época do império! Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon e Pedro de Alcântara João Carlos Leopoldo Salvador Bibiano Francisco Xavier de Paula Leocádio Miguel Gabriel Rafael Gonzaga iriam dar muito trabalho aos numerólogos!

Bem, já temos o PODEROSO CHEFÃO (Satanás) e o SEU BAIRRO (Inferno), mas quem serão os seus capangas? Para preservar a essência do dualismo (bem e mal, água e fogo, preto e branco, claro e escuro) tinha que existir o homem e a mulher (isso não é bem um dualismo, mas...).

Incubus são demônios masculinos que afetam as mulheres e Sucubus são demônios femininos que afetam os homens, ambos sempre agem a noite enquanto suas vitimas dormem, sugando suas forças vitais através do ato sexual e possuem uma aparência sedutora de acordo com o padrão de beleza da época.(Fonte)

Uma sucubus da nossa época

Agora dá pra entender porque se faziam votos de castidade! A galera acreditava tanto nesse papo de bem contra o mal que até empreenderam GUERRAS, veja só. O raciocínio é bem óbvio: se EU estou certo, VOCÊ está errado. E lá se foi a idade média, cheia de CRUZADAS.

"Ei, mas eu vi a minha vizinha fazendo BRUXARIA!". Pobres mulheres, foram tão oprimidas naquela época. Qualquer denúncia era passível de TORTURA na INQUISIÇÃO. Veja só, escreveram um livro completo para salvar a SUA alma mortal do inferno e da possessão pelo Capeta! Chamava-se MALLEUS MALEFICARUM e foi um BEST-SELLER na época.

Hoje convivemos com torturas de segunda-a-sexta

Mas aí algumas coisas aconteceram e a religião nem era mais tão importante. É que houve uns rebeldes na França que resolveram mudar o mundo com idéias como liberdade, fraternidade, igualdade. O povo soltou um "eba, coisas novas!" e a religião disse um "droga :(".

Esses rebeldes, querendo ir contra o sistema, começaram a relativizar as coisas. "Não pega pesado, pô, o Lúcifer não é ruim não, é só um incompreendido!" e introduziram a figura ROMÂNTICA do Cão. Começaram a por ele como GAROTO PROPAGANDA para vender produtos (vinho, cerveja, chocolates, etc)! Ele até foi advogado em um filme!!! Começaram a perceber que Mefistófeles não era melhor ou pior do que as pessoas com que ele lidava.

Quanto carisma!

Naquela época dos HIPPIES, lá pelos anos de 1960, os descendentes dos franceses rebeldes continuavam nervosinhos. Um rapaz chamado Anton "Toinho" Lavey resolveu, num golpe de marketing sensacional, criar uma igreja para Belzebu. Nessa época de provocação ao sistema, chamada de contracultura, fez com que a igreja fosse um sucesso. Toinho ganhou muito dinheiro com sua igreja, mas nem ele, nem seus seguidores, acreditavam que Satanás existia de verdade. No Brasil, criaram algo parecido, na qual oradores tem sua igreja e sua vida pessoal financiadas com dinheiro dos FOLLOWERS. Em troca, dão alguns milagres.


Conclusão: deveríamos fechar o inferno e banir o diabo.
Postar um comentário