Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

22 de junho de 2011

Português para quem não sabe gramática #1


Nunca fui bom na parte gramatical de português no tempo do colégio. Pra manter a média, tinha que me dar superbem no quesito interpretação de texto. Foi aí que aprendi um bocado de palavra (lendo muito) e como escrevê-las. Também, para minha sorte, os professores na escola valorizavam mais a parte interpretativa do que a gramatical, então minhas notas não eram de todo mal.

Me incomodo muito vendo erros grosseiros de português. Aconteceu de, em um atendimento online da Oi/Velox, a moça dizer "diante mão" ao invés de "de antemão". Putz. Ou então a pessoa não saber onde usar "vê" e "ver", "dá" e "dar", "está" e "estar". Vamos falar desses últimos exemplos então.

Você, homem, chega numa garota e diz: "quer dar para mim?". Repare que mesmo ela dizendo "não", a frase está correta. O "dar" é usado no futuro. Alguma coisa que ainda vai acontecer (neste caso, não vai). A menina também pode responder: "hoje não dá". E está correto também. Porque o "dá" está flexionando no presente. O "dá" já é a forma flexionada de "dar".

Se você quer perguntar como vai alguém, use "você está bem?". O "está" é a forma flexionada de "estar". O "esta", sem acento, serve para definir algo. "Você está entendendo esta resposta?".

Claro que não é só isso, existem outros modos de aprender, mas envolve palavras como "preposição", "indicativo", "pessoas do singular" e isso não me cabe. Não sei de nada disso na teoria, só na prática e é com meu conhecimento parco sobre o assunto que evito cometer equívocos.
Postar um comentário