Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

21 de setembro de 2011

A mediocridade nas salas de aula

Não sei se foi algum pedagogo ou alguém ligado ao ensino que inventou, mas algumas máximas atuais presentes em salas de aula (principalmente ensino médio e fundamental) são meio non sense.

Uma que eu acho bem estupida foi quando começaram a dizer que "uma nota boa ou ruim não quer dizer que você seja mais ou menos inteligente que seu coleguinha". Por favor, alguém me mostre qual a outra forma de avaliação sem notas. Eu sou ignorante e não conheço. Se você aprende mais, você é mais inteligente. Não importa se você decorou tudo de última hora ou se você estudou regularmente. De uma forma ou de outra você se deu melhor que outra pessoa. E se for o primeiro caso, você ainda tem uma ÓTIMA memória!

(Infelizmente não conheço uma outra forma popular para medir o aprendizado sem ser atribuindo valores. Se você conhece, me conte. E isso é para medir inteligencia, não a CAPACIDADE da pessoa)

Outra coisa que particularmente é irritante é professor que diz "esse é um processo conjunto, nós aprendemos juntos". Você, professor que diz isso, está, no mínimo, desprezando toda sua formação acadêmica. Você TEM que saber tudo da sua disciplina, ainda mais para alunos de ensino fundamental e médio. Talvez você não precise saber uma resposta exata, mas você tem uma NOÇÃO para dar uma resposta vaga e trazer algo mais aprofundado em uma próxima aula. O aluno vê no professor uma figura acima da média, não o deixe sem resposta.

(Mas, por favor, não ensine nada errado. Melhor ser vago)

Prezando pelo politicamente correto, as escolas, em seus jogos internos, estão DANDO medalhas de participação. Qual é a graça disso? A vida não premia os derrotados. Talvez os esforçados, os persistentes, mas como alguém vai ser isso se sempre recebe um PRÊMIO de consolação? É até estranha essa expressão. Por que você merece um prêmio para ser CONSOLADO? Se você não é um bom esportista e souber isso o mais cedo possível, o colégio pode dar atenção naquilo que você se sobressai. Por que insistir em atletismo se o que você gosta mesmo é de misturas químicas?

(As escolas deveriam investir no potencial do aluno! Mas para isso é preciso uma mudança de mentalidade...)

E os pais que vão tomar SATISFAÇÃO por seus filhos terem tirado nota baixa? Como se a culpa toda fosse do professor. Essas atitudes nivelam por baixo. Crianças vão sendo passadas de uma série para outra sem terem aprendido o básico. Chega lá na frente e se dá mal. Porque ninguém as reprova de ano. "Ah, elas pagam dependência". Eu acho bacana você pagar uma ou duas matérias de um ano anterior no ano corrente, mas quando é mais que isso o aluno fica sufocado com a quantidade de matérias. Aí não dá, né?

(Reprovar alguém não é errado. Mas também não é certo fingir que tá tudo bem!)
Postar um comentário