Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

20 de março de 2012

The Emperor's Club

Por que você baixou esse filme?

Igor me falou do filme. Disse que um professor dele passou em uma aula. E me recomendou.

Mas e aí, do que é que ele fala?

Da relação entre um professor de história e um aluno "rebelde". O garoto faz gracinhas, o professor vai falar com o pai do mesmo, este é um cara bastante repressivo, o professor vê que o menino é meio incompreendido e começa a ajudá-lo, inclusive fraudando notas para um concurso sobre a disciplina.

Há muitas ponderações a fazer sobre o filme. Vou enumerá-las em tópicos:

1. O filme trata a disciplina de História como decoreba. Isso porque o filme se passa há "25 anos atrás". Era aquele tipo de história em que necessitava memorizar datas, locais e pessoas. Sorte que hoje não é mais tanto assim.
2. As perguntas do concurso eram todas decorebas. Mesma crítica anterior.
3. Deram a entender que o professor era tão apaixonado pelo que lecionava porque não constituiu família. Sofreu uma desilusão amorosa.
4. O senador não sabia o valor da história. Queria um valor PRÁTICO. Normal. Ensinar Matemática é prático quando você pode usar o conhecimento para atividades cotidianas. Te fazer raciocinar sobre um determinado assunto, dar uma visão crítica, mostrar o "outro lado" das coisas, não é algo prático. Não tem "sentido" na visão do senador. Faz até sentido essa crítica porque os alunos não raciocinavam no sentido de criar seu próprio entendimento, mas sim reproduzir o que o professor falou. O professor era a autoridade, sua palavra é lei.
5. Quando ele deu o livro antigo pro aluno, lembrei de Harry Potter e o príncipe mestiço. Pensei que ia ver várias anotações ao lado, igual a SEVERO SNAPE, mas nada foi mostrado.
6. O filme tambem lembra um pouco A SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS. Só que ao invés do professor idealista mexer com a cabeça do povo, em O Clube do Imperador, o professor apenas é a fonte do saber. Não se deixa questionar.
7. Curioso era ver, na competição, os alunos vestidos com togas, debatendo sobre filosofia e as perguntas serem mera decoreba. Como se os filosofos não raciocinassem, né?
8. Na parte em que o senador diz que vai moldar o filho, achei ótimo. Por que só o professor/escola deveria ser responsável por isso? Vale a discussão.
9. Gostei da lição no final.

Se eu vier a dar aula algum dia, vou passar esse filme. E o da Sociedade também. E pedir pros alunos compararem.

Poderia me mostrar algumas imagens?



Postar um comentário