Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

29 de maio de 2012

A diferença entre Ateu e Agnóstico

- Particularmente acho os ateus tão irritantes quanto os fundamentalistas cristãos
- Bem, o importante é que você encontrou uma maneira de se sentir superior aos dois.

No YouTube há muitos canais legais além do meu. Um dos que estou inscrito é o do Pirulla. É um videolog de um rapaz, não sei de onde, que é biólogo e fala sobre assuntos da biologia (meio ambiente, vegetarianismo, aquecimento global), religião (intolerância/imposição religiosa, ateísmo) e temas em vogas hoje em dia (educação, cinema).

Um dos vídeos que achei interessante é o que ele fala sobre a diferença entre Ateu e Agnóstico. É meio que, ainda, um tabu se declarar ateu no Brasil. Talvez você seja contra a igreja católica/evangélica, compartilhe fotos no facebook mostrando como ela manipula a sociedade e diga que não acredita no Deus da bíblia (ou qualquer deus de outra religião), mas acha que há alguma força superior ou não duvida da existência de Deus. A opção fica em aberto.


Por esses motivos acima citados, muitas pessoas preferem usar o termo Agnóstico ao invés de Ateu. Porem, por desinformação ou algo do gênero, não sabe que os termos não são excludentes. Quero dizer que você pode - e talvez seja - um ateu e um agnóstico ao mesmo tempo.

E é isso que o Pirulla explica no vídeo (E eu concordo com essa visão, por isso estou escrevendo isso). Vou resumir aqui tão didaticamente como ele fez durante os 13 minutos de explicação.

Ele diz que existem dois tipos de ateus:

- O ateu "fraco (negativo)" não acredita em Deus. É uma descrença. Ele duvida que Deus existe.
- O ateu "forte (positivo)" acredita na INEXISTÊNCIA de Deus. É uma crença. Ele afirma que Deus não existe.


A semântica da palavra gnose nos remete a conhecimento, SABER de algo. Sendo assim, gnose significa "saber" e agnose "não saber". Na semântica de teismo, por outro lado, surge a palavra ACREDITAR. Um teista acredita em algo (um deus ou deuses), enquanto um ateista não acredita.

Partindo desse raciocínio, vou fazer perguntas para eu mesmo:

Eu SEI se Deus existe? Não. Sou, então, um Agnóstico.
eu ACREDITO que Deus existe? Não. Logo, sou um Ateu.

Viu? não são excludentes.

Um outro exemplo que o Pirulla deu no vídeo é dos extraterrestres.

Eu SEI se existe vida fora da terra? Não. Sou um Agnóstico em relação aos ets.
Eu ACREDITO que exista vida fora da terra? Sim. Logo, sou um Teista em relação aos ets.


Tanto para um religioso quanto para um ateísta "forte", os indícios de sua crença baseiam-se em questões pessoais. Se uma pessoa que é religiosa diz que fala com Deus, diz que milagres aconteceram com ela, então ela é gnóstica e teísta. Ela não apenas ACREDITA, como também SABE que Deus existe. As mesmas razões, só que inversas, justificam a crença no Ateísmo.

Abaixo o vídeo.

Postar um comentário