Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

27 de junho de 2012

A limitação física não diminui os sentimentos das pessoas


Dia desses um AMIGO curtiu um status no facebook que dizia o seguinte:

Um grande abraço para todos os pseudo-torcedores do facebook. Torcedor vai ao estádio. Quem assiste pela TV é telespectador. Boa noite.

Provavelmente o mesmo deveria estar se referindo aos torcedores Corinthianos, já que a frase foi postada no mesmo dia da semifinal contra o Santos. Mas vamos fingir que não é apenas dor-de-cotovelo e sim uma reclamação contra todas as pessoas que torcem e não vão ao estádio.

Eu acho arcaica essa afirmação.

Primeiro ele afirma que torcedor é aquele que vai ao estádio. Ele não diz "APENAS" é torcedor que vai ao estádio, mas pela fúria do comentário, deve ter sido esse o sentido. Ora, eu nunca fui assistir nenhum jogo do Corinthians ou da Seleção Brasileira... logo não sou torcedor deles? Que pena pra mim que não tenho dinheiro pra viajar por aí (ainda mais no caso da seleção, que mal joga no Brasil)!

Mas o que seria essa figura do torcedor? Ir ao estádio é, sim, um dos elementos, pois gera renda para o clube. Comprar produtos do time (camisa, canecas, etc) também ajuda. Assistir o time pela TV faz aumentar a audiência da emissora que servirá como parâmetro para os patrocinadores descobrirem aqueles times com maior apelo popular em determinadas regiões do país. Por que isolar um único fator para dizer quem é torcedor e quem não é?

Isso pra não falar do aspecto psicológico. Você acredita que o sentimento de torcer é diferente de quem vai ao estádio e de quem não tem essa condição? Talvez. Acredito que há pessoas que possuem condições de ir ao estádio e admiro a iniciativa das mesmas enfrentarem sol e chuva para verem o seu time. Torcer ali no estádio É, SIM, DIFERENTE de torcer em casa, mas isso não diminui um (apenas exalta outro). Contudo, se você pensar bem, é apenas uma minoria que tem possibilidade de realizar isso. Por exemplo: a média de público do Corinthians no campeonato brasileiro de 2011, como mandante, foi de 28.918. Um total de 520.534 pessoas viram os jogos no estádio. Só que pesquisas recentes dizem que a torcida tem 25 milhões de pessoas. E agora? Mais de 24 milhões não são torcedores por não poderem, por motivos diversos, irem ao estádio? Acho que não, né?


Acho muita arrogância querer julgar quem pertence ou não pertence a uma categoria apenas por convenções espaciais. Não acho que alguém seja menos ou mais torcedor por ir ou não ir ao estádio, assim como não acredito que para se dizer amigo de alguém você precise conhecê-lo há anos.

P.S: Muita gente se espanta quando brasileiros dizem torcer para outras seleções. Argentina, Itália, Alemanha, sei lá. Pra mim é a mesma coisa que torcer por um time de fora. Identificação. Não é por você fatalmente ter nascido em um país que deva exacerbar seu "patriotismo" na hora dos jogos (leia um diálogo sobre o assunto aqui). Eu, por exemplo, assisto Formula 1 porque gosto de automobilismo. É legal ver um brasileiro vencendo? É. Mas a competição, pra mim, é mais importante.

Relato de um fã apaixonado:

Claro que o sentimento é diferente, pelo amor de deus! O cara no estádio, sofrendo de verdade, pega carro, enfrenta fila, paga ingresso, pega chuva, comemora os gols, volta pra casa ouvindo, feliz, no rádio, a vitória, ou então tem que voltar pra casa de carro puto com a derrota, com todo mundo calado no carro. Querer dizer que isso é a mesma coisa de ver o jogo na TV, que o sentimento é o mesmo... não é, bicho. O cara pode amar muito o time, ficar puto, chutar a mesa da cozinha... o sentimento é muito diferente. Um é uma coisa, um tipo de sentimento; o outro, que vê pela tv, tem outro tipo. Mas não dá pra comparar
Postar um comentário