Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

20 de agosto de 2012

Acaso e Caos


Anteontem eu fui vender um livro pra uma menina no cidade jardim. Tava usando sandália e o piso tava escorregadio. Não havia essa placa ai em cima. Enfim. Chão liso, quase caia de cara ou bunda no chão, mas consegui manter meu centro de gravidade. Meu celular, por outro lado, foi arremessado. Talvez um movimento involuntário para me segurar em algo de modo a evitar cair (nem precisou e nem tinha no que segurar). Lá se foi o coitado, do chão não passou. Ele abriu, a bateria pulou fora e descarregou. Não totalmente. Ficou só um pontinho de energia. A qualquer momento ele descarregaria. Apenas na segunda-feira poderia carregá-lo, pois não tinha levado meu carregador pro apartamento.

Daí eu pensei: e se minha vida fosse um filme? Tipo BUTTERFLY EFFECT ou HAPPENSTANCE ou qualquer outro que envolva teoria do caos. Eu já imagino trilha sonora pra todo momento, então que mal há imaginar que é um filme? Então. Caso fosse nesse gênero, as atitudes do agora seriam refletidas no futuro. Tudo teria um motivo e mimimi. As oportunidades seriam criadas (não existiria isso de "agarrar" uma oportunidade, mas sim FAZER uma).

Nesse mesmo dia, a noite, fiquei trocando sms com uma menina (outra). Mensagem vai, mensagem vem, o celular descarrega. E telefone fixo, como se sabe, não envia sms. E o que eu poderia fazer pra continuar a conversa? Pegar o outro celular da casa (da minha mãe) e inserir meu chip nele. Mas esse seria o caminho fácil e não conveniente para um verdadeiro filme, né?

Decidi que assim que acordasse (era a madruga boladona naquele momento), iria CRIAR o evento que consistiria em conhecer os vizinhos do andar. Iria tocar a campainha de todos (são 4 por andar) até encontrar um carregador para o meu celular. E foi o que fiz. Mas nenhum deles tinha. Tentei também na academia do prédio, mas nada. O porteiro também não tinha. Ao todo, que me lembre, encontrei carregadores pra LG, Samsung, IPHONE... mas nada do meu Nokia. Que é um aparelho antigo, não tem essas entradas usb e miniusb. Mas mesmo assim acabei conhecendo (superficialmente, né?) algumas pessoas do prédio. Então se você observar por essa perspectiva, o escorregão não foi por acaso, né? Como diria Monty Python: ALWAYS LOOK ON THE BRIGHT SIDE OF LIFE.

Minha vida é um filme.


Postar um comentário