Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

24 de setembro de 2012

O Iluminado (The Shining)

Durante o inverno, um homem (Jack - Jack Nicholson) é contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com sua mulher (Wendy - Shelley Duvall) e filho (Danny - Danny Lloyd). Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo. (Fonte)

Antes do hotel ser construído, o mesmo era um antigo cemitério indígena. Após sua construção, houve um massacre na década de 1970. O casal do filme não percebe esses INDÍCIOS de "Ei, tem alguma coisa bem errada por aí! Não vai não!"


Menos a criança. Crianças percebem tudo. Em filmes, pelo menos.

O filho de Jack, Danny (curioso, não modificaram o nome dos personagens masculinos da família), conversa com seu dedo. Não exatamente com um dedo, mas sim um amigo imaginário ou algo semelhante. Do que que eu lembro? Daquele filme bizarro, Kung Pow. Só faltou Danny desenhar um rostinho no seu dedo.


A família toda faz as malas e se dirigem ao hotel. Mesmo alertados sobre os problemas do isolamento, os massacres, as lendas... eles vão. Lembre-se que o filme é de 1980. Não havia celular (e provavelmente não pegaria, dada a NEVASCA que ocorreu por lá), não havia internet, o local era enorme (tinha que mantê-lo conservado) e em nenhum momento se falou quanto pagariam pra Jack & cia irem para essa ROUBADA. Ficar conversando com as mesmas pessoas durante 3 meses deve ser muito maçante, mas não refletiram sobre isso. Talvez o dinheiro fosse bom mesmo.


O hotel chama-se OVERLOOK. Seu gerente chama-se Dick (Scatman Crothers). Ele que vai explicar para NÓS, os espectadores, o porque do nome do filme. Iluminados são aqueles que podem conversar com outros sem ao menos dizer uma palavra. Eu chamo isso de telepatas. Ou pessoas apaixonadas.



Aparentemente não é só isso (mas é a única coisa explicita a ser falada), afinal Dick conhecia o apelido de Danny, Velhinho, uma referência ao Pernalonga. É como se este "poder" pudesse penetrar na mente dos outros, além de oferecer também um pouco de clarividência.


Agora que todos já estão devidamente LOTEADOS no hotel, no único quarto com aquecedor, as coisas começam a acontecer. Danny se diverte a beça brincando de velocípede pelo local. Parece ser bem agradável, afinal o hotel é imenso. Wendy e Jack ficam responsável pela manutenção de algumas maquinas e da alimentação, mas após realizar suas tarefas, Jack usa o tempo restante para escrever. O que? Não sei. Um livro talvez. Nunca foi mencionada a profissão dele, mas aparentemente ele aceitou o emprego de ZELADOR/VIGIA do hotel para poder se focar na escrita.

Enquanto isso, Danny e Wendy vão explorando o hotel e suas redondezas. De frente para o Overlook há um ENORME labirinto. Não duvido nada que J.K Rowling tenha se inspirado nele para criar um semelhante no livro Harry Potter e o Cálice de Fogo.


Enquanto fica isolado e escrevendo, Jack torna-se cada vez mais antissocial. Não aguenta mais ver a mulher atrapalhando-o enquanto escreve e o barulho do velocípede de Danny o incomoda. Nunca sabemos o que ele fará em seguida. EM VERDADE VOS DIGO: Só a figura de Jack Nicholson causa um pouco pouquinho de medo. Toda a atuação dele é impressionante. De um homem são, calmo e pacifico para uma pessoa completamente TRANSTORNADA.


Jack costuma visitar um barzinho do hotel chamado The Gold Room. Não deveria haver ninguém por lá. E a principio não há, não na noite que ele vai pela primeira vez. Só que depois...


Daí as teorias vão começando. Dizer essa frase funcionou como uma ativação para que os espíritos das pessoas do massacre anterior aparecessem para Jack? Afinal Danny já tinha visto as gêmeas anteriormente. (Aliás, o problema de filmes dessa ESTIRPE é que as pessoas não conversam: "Papai, papai, vi duas garotas gêmeas ensanguentadas" talvez tivesse algum efeito). Percebe-se que os homens são afetados primeiramente por essas visões. Esse "poder" seria passado de pai para filho e Jack ainda não tinha despertado-o?

Só sei que ao começar a frequentar o bar, Jack começa a sofrer influencias das pessoas que estão por lá. Começa a culpar a mulher pelas mazelas da vida dele, por exemplo. E ela passa a ter medo dele. E do que ele pode fazer com Danny.


Então penso em outra teoria. É se o filme NÃO for sobre Jack, mas sim sobre Danny? E se Danny estivesse "possuído" o tempo inteiro pelo amigo imaginário, Tony? E se... bem, cansei de falar do filme. Resumindo: Jack vai ficando doidão, Wendy teme por sua vida e do seu filho, Danny evita o pai e Dick (o gerente) SENTE que algo ruim está para acontecer no hotel e se dirige ao local. O que vai acontecer? Assista.

Vamos ao que interessa: minha opinião. Tem alguns filmes que não passam no teste do tempo. Tubarão, semana passada, passou. O Iluminado, infelizmente pra mim, não. POR QUE?! Não me deu nenhum susto ou causou medo. Provavelmente porque eu o assisti com a ideia de que o mesmo fosse um filme de TERROR. E ele não é. Repito: NÃO É. É um filme de MISTÉRIO. De elaborar teorias. De saber o que os personagens fazem e porque o fazem. O papel de cada um na história. Talvez se alguém tivesse me alertado sobre isso, poderia ver o filme com outros olhos, mas dessa vez não foi o caso. 

Acho que os únicos filmes baseado em obras de Stephen King que gostei bastante foram A Espera de um Milagre e Um Sonho de Liberdade. Não gostei de A Janela Secreta, Carrie, Christine - O Carro Assassino, O Apanhador de Sonhos... acho que meu conceito de terror não envolve ter fantasmas, vampiros, lobisomens ou qualquer outra criatura sobrenatural, mas sim TER MEDO. Se fosse assim, Crepúsculo seria terror. Mas a lição foi aprendida. Stephen King é mistério. Não terror. 

Para quem gostou gosta do filme, deixo dois links interessantes. O primeiro é um tumblr chamado The Overlook Hotel. Há várias imagens interessantes do filme, inclusive algumas bem "raras" (o que é raridade quando se tem internet, né?). O segundo e último link é uma analise comparada entre o livro e o filme de O Iluminado. O rapaz que escreveu (Rob Ager) se ESMEROU bastante, pois engloba tantos os aspectos técnicos da filmagem com dados cruzados sobre a biografia de Stanley Kubrick (o diretor do filme), Stephen King e váááárias teorias sobre o que aconteceu no hotel (com imagens que justificam os argumentos). Vale MUITO a pena ler (é enorme).

Postar um comentário