Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

13 de setembro de 2012

O Turco

Há um anime chamado Hikaru no Go, onde o personagem principal (Hikaru) encontra na casa do seu avô um tabuleiro de Go (um jogo chinês). O garoto, que não sabia nada sobre o jogo, vai limpar o objeto e acaba acordando o espírito de um antigo jogador de Go, Fujiwara no Sai. Por ser apaixonado pelo jogo e por desejar realizar uma jogada chamada Kami no Itte (A Jogada de Deus ou Lance Divino), Sai não consegue se desprender do plano físico para o plano espiritual. A história do anime vai contando o desenvolvimento de Hikaru no jogo, as vezes auxiliado por Sai, as vezes sozinho.

Esse breve contexto é só para contar uma historinha semelhante.


O Turco foi o nome de um automato falso que jogava xadrez. Porem na época de sua invenção, por volta de 1770, as pessoas não sabiam que o automato era uma fraude, ou seja, que não era realmente automatizado, mas sim controlada por alguém.

A maquina, operada por um enxadrista habilidoso por dentro, venceu a maioria de suas partidas contra jogadores humanos (Só não iriam ser jogadores extraterrestres, né?), incluindo personalidades como Napoleão Bonaparte e Benjamin Franklin. E as pessoas que presenciavam as exibições públicas de O TURCO ficavam "Ohhhhhhh!". Não é a toa, né? Uma maquina de inteligência artificial ainda hoje surpreende as pessoas, que dirá naquela época. Uma analogia forçada que podemos fazer são as partidas de xadrez entre o computador Deep Blue e Garry Kasparov

Postar um comentário