Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

18 de outubro de 2012

Revolution S01E05 - Soul Train

O episódio começa com TOM NEVILLE espancando seus subordinados numa versão de CLUBE DA LUTA, só que sem nenhum alter ego. Não satisfeito em bater nos seus coleguinhas da milícia, chama Danny pra porrada. Este reluta, mas depois que Tom lhe aplica um soco, Danny revida. Pra quê? Tom DESTRÓI Danny com uma sequência de golpes.

Flashback: Esse é o episódio de Tom e o passado dele é bastante crível. O mesmo trabalhava em um banco, na parte de seguros, e tentava fazer o bem (leia: ajudar as pessoas a terem direito ao seguro). Só que seu chefe não compartilha dessa idéia, reprime-o por pensar assim e, por fim, demite-o.

Presente: Miles novamente mostra todo seu pragmatismo. Enquanto Charlie, Nora e Aaron querem ficar velando o tumulo de Maggie, ele diz que não há tempo. "Adeus", diz para o corpo. Quanto mais tempo se perde por lá, mas longe Danny fica.


Não canso de achar bonita a paisagem do planeta após 15 anos sem o uso da eletricidade. Coisas que faziam sentido, uma antena parabólica, torna-se uma parte da natureza. Deve ser assim que um arqueólogo se sente ao descobrir artefatos antigos: procurando descobrir o significado daquilo para determinada época. Outro ponto bastante interessante é o como a natureza se recupera facilmente: são muitas árvores, é muito verde. Enquanto isso, o ser humano fica na pindaíba, totalmente dependente de apetrechos tecnológicos.

Descobrimos que a milícia Monroe tem um trem. Infelizmente ninguém irá para a ESCOLA DE MAGIA E BRUXARIA DE HOGWARTS, mas pelo menos o translado entre regiões do país ficará mais fácil. E poderão levar o DANNY BOY para perto de sua mamãe. Os mocinhos precisam resgatá-lo antes que o trem parta de Noblesville para Philadelphia.


Flashback: novamente TOM, um PACATO CIDADÃO, que pede ao seu vizinho para diminuir o volume da música. Este DÁ DE OMBROS. Resignação e conformação, este é o Tom que assistimos nos flashback.

Parêntese: Expresso de Hogwarts, Tom, Neville (Longbottom)... HARRY POTTER! Além dos nomes, há também a clara referência com o livro impresso Harry Potter e as Relíquias da Morte. Também percebemos a menção a série Transformers, devido ao brinquedo do filho de Tom, Jason.



Ainda sobre o flashback: Tom havia sido demitido. Ele nem chegou a contar para sua esposa sobre a demissão. Caso o apagão não tivesse ocorrido, Tom provavelmente iria procurar outro emprego no qual teria que ferir, indiretamente (e financeiramente), outras pessoas. Sorte (conveniência) que o apagão aconteceu e o mundo mudou. Agora Tom não precisa ser subserviente a ninguém. Igual a VOLDEMORT quando descobriu que tinha poderes. MEU DEUS, SENSACIONAL!

Voltando para o presente: Nora encontra-se com outro membro da resistência, o único sobrevivente em Noblesville após repetidos massacres da milícia. É LAPIDUS, O PILOTO DE LOST! Que aqui chama-se Hutch. Aparentemente há vários meios de se identificar um rebelde. Possuir a bandeira dos EUA (tatuada ou não) e perguntar por Joe Biden. Quem? Pois é. Googlei aqui e descobri que ele é o atual vice-presidente dos EUA.


Enquanto isso, passeando pela cidade, Charlie tenta descobrir de que horas parte o trem. E com quem ela se encontra? TOM! Lembramos que o capitão não a conhece, pois no massacre da aldeia, a mesma só chegou após a morte do pai e o sequestro do irmão. Após CONFRATERNIZAR com o inimigo e contar uma mentirinha, Charlie segue-o, mas Tom logo percebe. Se não fosse MILES para salvar o dia...


Nora e seu colega da resistência  Hutch, resolvem explodir o trem. Porque os vilões MERECEM. E se Danny estiver mesmo no trem? Bem, aparentemente ela não liga. E aí, Nora que poderia ser uma boa personagem, tornou-se descartável na história para mim. Primeiro: matar SOLDADINHOS da milícia não vai afetar em NADA a situação. Mesmo que isso demonstre a fraqueza da Milícia Monroe em lidar com os rebeldes, outra milícia pode sobrepujá-la e a situação ficaria A MESMA, só mudando o TIRANO. Segundo: os mesmos soldadinhos podem ser REPOSTOS. Quantas pessoas não devem estar loucas para servir a milícia e garantir o pão de cada dia? Faltou estratégia. Do grego στρατηγική, do francês stratégie, do inglês strategy, do alemão stratagie... em suma, ela é uma tapada.


Mas sobra pra quem? Pra Charlie, coitada. Miles pega muito pesado com ela. Só porque a mesma seguiu Tom. Sim, ela fez errado, ela agiu sentimentalmente, mas ninguém a ensinou a ser de outra maneira. Ela é impulsiva, só que ninguém está na pele dela para entendê-la. Na história, Charlie faz o papel da ÂNCORA DE SALVAÇÃO. Foi ela quem ajudou Maggie, é ela que deu início a busca pelo irmão e agora é ela que tenta mostrar que Miles ainda possui um lado mais humano. Esse é o papel dela na história (mas não o único).

Flashback: Tom e sua mulher discutem se devem permanecer no local ou se deslocarem. Uma clara menção ao grande MÚSICO POPULAR BRASILEIRO RICARDO CHAVES. "Não adianta se esconder / Se correr, o bicho pega / Se ficar, o bicho vai comer". A casa de Tom é invadida pelo vizinho, justamente aquele que não quis abaixar o som. Ambos discutem e o vizinho ameaça espancá-lo. SANGUE NOS OLHOS. Tom desfere tanta pancada que, provavelmente, o cara morreu. Seu filho e mulher observam tudo impassíveis. Tom, que era um pacifista, que ensinava boxe ao filho dizendo para bater no saco de areia e não nas pessoas, modifica-se completamente.

E voltamos para o presente com o STALKER de Charlie, preso numa grade. Miles e a garota tentam obter informações de onde DANNY BOY poderia estar, mas o stalker nada diz. Quando Miles ia começar a torturá-lo, o mesmo demonstra habilidades de LE PARKOUR e, com as MÃOS AMARRADAS, foge pelo TELHADO. PELAMORDEDEUS, ROTEIRISTAS!


Para compensar a falta de coerência, os roteiristas nos mostram o mapa de como os EUA ficaram divididos. São seis regiões: Monroe Republic, California Common Wealth, Wasteland, Plains Nation, Texas e Georgia Federation. Como será que ficou o BRASIL?

Enquanto isso, Nora e Hutch estão plantando a bomba no trem. Só que ela, de última hora, desiste. "Eu fiz uma promessa". Puro MIMIMI. Levou uma facada NO BUCHO (Janne Layza®) bem merecida. ACHO É POUCO. Só que ela não morre, né? Maggie, leva uma facada na perna e atinge a artéria. Nora toma uma na barriga e nenhum órgão é danificado. CONVENIÊNCIA!

Só sei que o trem parte da estação. Charlie e Miles pegam cavalos e perseguem-no.

Sunset Riders.

Eita, imagem errada.

Final Fantasy 8.

Errei de novo.


Pronto, agora sim.

Resumindo: A bomba que Nora criou está dentro de um tronco oco. Miles precisou, literalmente, por a mão no fogo para retirá-lo. Charlie QUASE salvou DANNY BOY, mas os reforços chegaram. Por outro lado, o stalker a salvou do cativeiro, empurrando-a do trem, mesmo Tom dizendo para segurá-la. POR QUE ELE FEZ ISSO? Não sei. Só sei que o stalker é, na verdade, o filho de Tom!


Acho que DESSA VEZ Charlie se ligou que A RAPADURA É DOCE, MAS NÃO É MOLE. Que ela precisa ser mais destemida e menos impulsiva. A frustração de chegar tão perto e não conseguir salvar o irmão deve ter colocado um pouco mais de razão em sua cabeça. Nada de conversar e fazer amizade com prisioneiros, nada de ficar CHORANDO AS PITANGAS em túmulos. Agora, espero, o bicho vai pegar. Charlie está OBSTINADA.

Enquanto isso DANNY BOY chega são e salvo em Philadelphia. Sua mãe, que a tudo observa, fica em POLVOROSA e resolve abrir o jogo com Monroe sobre a história da eletricidade. Bem, sabemos que Jason viu o pingente e provavelmente contará ao pai sobre isso. OU NÃO!


E agora sabemos que há 12 pingentes. Sabemos de três deles: um está com Aaron, outro com a mulher negra que nunca mais vimos e o terceiro com o rapaz que invadiu a casa da mulher negra. Faltam 9. Provavelmente RACHEL e Miles também possuem um. Faltam 7. Agora só resta esperar e coletar as ESFERAS DO DRAGÃO para realizar o desejo de ter energia.

Em relação ao título do episódio: Soul Train, em português "Trem da Alma", provavelmente é uma autorreferência a série, afinal temos o trem (aspecto literal) e Danny como a alma (aspecto metafórico).
Postar um comentário