Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

31 de janeiro de 2013

A trilogia Jogos Vorazes de Suzanne Collins


Para quem ainda está por fora, a história de Jogos Vorazes é, resumidamente, a seguinte: num futuro distópico, após a destruição da América do Norte, uma nova nação surge: Panem. Só que ela não aparece de repente assim. Houve uma guerra civil, conhecida como Dias Escuros, onde 13 distritos batalharam contra a Capital (a cidade central) e acabaram por serem derrotados. O 13º distrito foi OBLITERADO, inclusive. 

Para ressaltar a força da Capital (o nome é em maiúsculo porque é assim que se chama a cidade) e lembrar que os outros distritos são apenas subservientes, foi criado uma competição mortal chamada Jogos Vorazes (The Hunger Games). Transmitida para toda a nação, ela jogará em uma enorme arena duas pessoas de cada distrito (um garoto e uma garota, entre 12 e 18 anos), no qual o tributo (como são chamados os escolhidos) vencedor será o último a permanecer vivo.

Essa é a história de um desses tributos, Katniss Everdeen, uma garota de 16 anos do distrito 12.

Agora que você já conhece a história (superficialmente), destacarei a seguir alguns pontos que achei interessante EM TODA A TRILOGIA. Eu pensei em fazer um post especifico para cada livro, mas demandaria tempo demais, então focarei nos aspectos mais curiosos que consegui perceber. Talvez contenha um ou outro spoiler, mas nada grave.


James Proimos, a quem a autora dedica o livro, é um autor estrangeiro de livros infantis (veja imagem acima). Ele foi a inspiração para Suzanne começar a escrever livros para crianças. Jogos Vorazes é categorizado como um livro de ficção infanto-juvenil. EU ACHO QUE NÃO TEM NADA DISSO, HEIN? (Suzanne tem outros livros, ok?).

Prim (a irmã da protagonista), Buttercup (o gato) e Catnip (apelido de Katniss) são todos nomes de flores. Rosas. Não sei a diferença, mas tem a ver com botânica. Abaixo segue imagens das PLANTAS, na ordem citada acima.




Em relação aos locais: Katniss e família vivem no Distrito 12, na área denominada Costura (a parte mais pobre da cidade). A Campina é o local descampado, cercado por arame e cerca elétrica. O objetivo, segundo a Capital, seria afugentar os animais selvagens, mas isso é só fachada para evitar que as pessoas FUJAM com facilidade do local. A caça é ilegal na região, bem como adentrar a floresta ao redor do distrito. Mesmo assim existe as pessoas, como Katniss, que cometem essas ilegalidades e não são punidas, porque as autoridades do distrito são maleáveis e as provisões alimentícias são escassas. Nada mais gostoso que um animalzinho caçado pela manhã, né? Para isso existe o MERCADO NEGRO, conhecido como Prego.

Percebemos também uma sociedade de classes. O pai era minerador e a mãe era uma espécie de curandeira. Ela veio de uma família rica, enquanto ele era um pobretão. Mesmo assim se casaram (contra a vontade de alguns). Cada distrito é responsável por suprir a Capital com algo. Energia, alimentação, etc. Um dos distritos é especializado em agricultura, outra em pesca, outro fornece material militar (os Pacificadores, como são chamados os policiais dos distritos) e assim por diante. Tudo bastante segmentado para evitar articulações políticas que possam vir a ameaçar a capital.

Tésseras é a moeda usada para trocar por grãos. Os mais pobres inscrevem o nome nos jogos mais vezes para ganhar mais suprimentos.


Como os protestos são proíbidos, a única forma de se manifestar contra a Capital é silenciosamente. Os três dedos significam agradecimento, admiração, adeus a alguém que você ama. Geralmente é visto em enterros.

Tudo dentro (e as vezes fora) da arena dos jogos remete a construção de um personagem pela mídia. As câmeras espalhadas por todo o local. As estratégias desenvolvidas para sobreviver. A forma de se portar em público (nas entrevistas) e dentro dos jogos. A imagem que é necessária transmitir para que as pessoas torçam por você e os patrocinadores te ajudem. O Centro de Transformação para deixar os tributos mais bonitos, identificados com o padrão de beleza da Capital. Tudo é um enorme teatro (exceto as mortes, né?).

O ponto mais interessante do poder da mídia em Jogos Vorazes é a edição do próprio jogo. É pura manipulação! O que é mostrado e o que é omitido é tudo feito para atender a determinados interesses.
"Por que essa gente fala como uma voz tão aguda? Por que suas bocas quase não se abrem quando eles falam? Por que o fim das sentenças sempre tem um tom acentuado, como se estivessem fazendo uma pergunta? Vogais esquisitas, palavras abreviadas, e sempre a letra S sibilando... não é para menos que é impossível deixar de parodiá-los."
Os criminosos, geralmente traidores, são punidos para que não conversem mais. Sua punição? Tem a língua cortada. São chamados de Avox (provavelmente é a junção do "A", para demonstrar negação, e "Vox" vem de voz. Sem voz.).

Escassez e abundância é um dos principais conflitos que ficam a tona. A Capital possui todos os recursos: alimentação, energia, entretenimento, saúde... para os distritos são reservados apenas migalhas disso. Fico imaginando: como serão os outros países? Porque Panem é uma nação, mas e o resto do mundo, o que está ocorrendo lá fora?


Em relação ao conceito de beleza:
“Na Capital, as pessoas fazem cirurgias para parecerem mais jovens e mais magras. No Distrito 12, parecer velho significa mais uma conquista, já que tantas pessoas morrem cedo. Você vê uma pessoa mais velha e deseja logo congratulá-la pela longevidade, sente vontade de perguntar a ela o segredo da sobrevivência. Uma pessoa rechonchuda é invejada porque não está ralando como a maioria de nós. Mas aqui a coisa é diferente. Rugas não são desejáveis. Uma barriga pronunciada não é sinal de sucesso."

A indiferença das pessoas da Capital em relação aos jogos é assustadora. É como se fosse puro entretenimento. Ninguém se preocupa com as pessoas mortas, ninguém reflete sobre o massacre que ocorre anualmente. Só conseguem olhar para o próprio umbigo.
"É engraçado, porque apesar de eles estarem tagarelando sobre os Jogos, só falam sobre onde estavam ou o que estavam fazendo ou o que sentiram quando determinado evento ocorreu. "Eu ainda estava na cama!", "Eu tinha acabado de tingir as sobrancelhas!", "Eu juro que quase desmaiei!". Tudo se refere a eles, não aos jovens que estavam morrendo na arena".
Um dado interessante é que não há herança. Katniss, após ter vencido a primeira edição, muda-se para um local adequado aos campeões, mas caso ela morresse, Prim e sua mãe teriam que voltar para a casa "original".

Para mostrar que o conceito de beleza não é universal, mas sim depende de cada cultura, temos a seguinte afirmação por Katniss:
"Fazer o quê? Aumentar meus lábios como o do Presidente Snow? Tatuar meus seios? Tingir minha pele de magenta e implantar jóias nela? Entalhar padrões decorativos no meu rosto? Dar-me garras curvas? Ou bigodes de gato? Vi todas essas coisas e muito mais nas pessoas na Capital. Será que eles realmente não fazem a menor idéia de como a sua aparência fica monstruosa para outras pessoas?"

 Pra quem não percebeu, Plutarco e Séneca, pessoas que foram responsáveis pela organização dos jogos, são também nomes de filósofos da antiguidade. Ambos viveram durante o período do Império Romano, tendo Séneca nascido em 4 a.C., falecendo em 65 d.C, enquanto Plutarco nasceu em 46 d.C. e morreu em 120 d.C. Como não li nada deles, não posso falar de semelhanças ou diferenças entre ambos :(

As pessoas comuns da Capital são TOTALMENTE ignorantes no que diz respeito aos problemas ao seu redor. Cordeirinhos que seguem lideranças sem questioná-las. Talvez se alguém dissesse para eles se importarem, quem sabe? Poderiam tentar diminuir a injustiça. Mas eles estão tão impregnados ao modo de vida que se torna muito improvável que comecem uma revolta. 
"É interessante, porém, quando eu penso no que Peeta disse sobre o atendente do trem estar tão infeliz pelos vitoriosos terem que lutar novamente. Sobre as pessoas do Capital não estarem gostando disso. Ainda acho que tudo isso vai ser esquecido uma vez que os barulhos dos gongos soarem, mas ainda é uma revelação que aqueles do Capital sentem alguma coisa por nós.  Eles certamente não têm problema nenhum em ver crianças serem assassinadas todos os anos. Mas talvez eles saibam demais sobre os vitoriosos, especialmente aqueles que foram celebridades por anos, para esquecer que somos seres humanos. É mais como ver seus próprios amigos morrerem, mas parecido como é para aqueles dos nossos distritos."


Postar um comentário