Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

2 de março de 2013

O conto do monstro sem nome (The Monster Without a Name / The Nameless Monster)


No anime Monster, que assisti lá pelo ano de 2006, relata-se, em determinada parte da história, a lavagem cerebral sofrida por crianças órfãs em orfanatos da Alemanha. Uma das formas era contando histórias. O personagem do anime chamado Franz Bonaparta criou várias dessas (The Big Eyed Man and the Big Mouthed Man, The God of Peace, e The Quiet Village por exemplo), misturando simbolismo e metáforas, onde o principal proposito era mostrar que a natureza humana tem a capacidade de se tornar boa ou ruim.


Em todo encerramento do anime é mostrado imagens de uma dessas histórias. Finalmente no episódio 37 ela é contada integralmente. Abaixo segue o vídeo e a transcrição do vídeo para quem tem preguiça de ler ou assistir.


Há muito tempo atrás, existia um monstro sem nome. O monstro queria tanto ter um nome que não aguentava mais. Então ele decidiu sair em uma jornada para encontrar um nome nome. Mas o mundo era um lugar grande que então, o monstro se dividiu em dois para cumprir a jornada.
Um foi para o leste e o outro para o oeste.

O monstro que foi para o Leste encontrou uma vila e havia um ferreiro na entrada da vila.
- "Senhor Ferreiro, por favor, me dê o seu nome."
- "Eu não posso lhe dar o meu nome"
- "Se você me der seu nome, eu vou entrar em seu estômago e faze-lo o homem mais forte do mundo em troca."
- "Verdade? Eu lhe dou o meu nome se você me tornar mais forte em troca"

E o monstro entrou no estômago do ferreiro.
O monstro se tornou Otto, o Ferreiro, e Otto era o mais forte da vila, mas um dia:

"Olhe pra mim, olhe pra mim. O monstro em mim cresceu tanto assim!"

Morde Morde,
Mastiga Mastiga,
Tritura Tritura,
Engole.

O monstro faminto comeu Otto de dentro pra fora e voltou a ser um monstro sem nome.
Mesmo assim ele entrou no estômago do sapateiro Hans mas:

Morde Morde,
Mastiga Mastiga,
Tritura Tritura,
Engole.

E ele voltou a ser um monstro sem nome.
Ainda assim ele entrou no estômago do caçador Thomas mas:

Morde Morde,
Mastiga Mastiga,
Tritura Tritura,
Engole.

E ele voltou a ser um monstro sem nome.
O monstro foi para o castelo em busca de um maravilhoso nome.
Dentro do castelo existia um garoto muito doente.
- "Eu te farei saudável se você me der o seu nome"
- "Eu lhe darei meu nome se você curar minha doença e me fazer ficar mais forte"

O monstro entrou no garoto.
O garoto se tornou saudável.
O rei estava impressionado.
- "O principe está bem! O principe está bem!"

O monstro ficou satisfeito com o nome do garoto e também ficou satisfeito com a vida no castelo.
Por esse motivo ele suportava mesmo quando ficava com fome. Todo dia, mesmo quando seu estômago ficava vazio, ele suportava.
Mas, devido ao fato dele ter ficado com muita fome:

"Olhe pra mim, olhe pra mim. O monstro em mim cresceu tanto assim!"

O garoto comeu seu pai, os servos e todos mundo.

Morde Morde,
Mastiga Mastiga,
Tritura Tritura,
Engole.

Por que não havia mais ninguém, o garoto saiu em uma jornada e comeu todos que encontrou em seu caminho, até não encontrar mais ninguém.

Morde Morde,
Mastiga Mastiga,
Tritura Tritura,
Engole.

Ele andou e andou por dias. Um dia, o garoto encontrou o monstro que foi para o Oeste.
- "Eu tenho um nome. Eu tenho um nome maravilhoso."
E então o monstro que foi para o Oeste disse:
- "Eu não preciso de um nome. Eu estou feliz mesmo não tendo nome. Porque nós somos monstros sem nome."
O garoto comeu o monstro que foi para Oeste.

Morde Morde,
Mastiga Mastiga,
Tritura Tritura,
Engole.

Apesar de ter um nome não restou ninguém para chama-lo pelo nome.
Johan.
É um nome maravilhoso.
Postar um comentário