Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

15 de março de 2013

Roubar pobre não é de Deus

Essa é a depoimento de uma garota que teve o celular roubado.



Não consigo dormir de tristeza. Meu celular era meu vício. Ele era muito importante sentimentalmente pra mim. Tantas mensagens de tanta gente...

Qual a graça? Qual o sentido? De não tê-lo ao meu lado. Ele, que sempre estava comigo 24 horas.

Uma ESTRANHA agora sabe toda a minha vida. Viu minhas fotos, sms, conversas em whatsapp. Me sinto invadida.

Eu nunca faria isso nem se fosse um SIII.

Um celular é como um familiar seu, um gêmeo SIAMÊS. Estou de luto. Estou indignada. Já liguei pra Tim bloqueando o chip. Vou na Claro onde comprei e mandar bloquear o aparelho pra não receber sinal de nenhuma operadora.

Eu mandei um sms dizendo que pagava o correios, dava até o dinheiro do resgate =~

Júlio, estou em FRANGALHOS!

Eu quase perdi meu voo, correndo feito louca atrás do celular, indo no banheiro, indo na mulherzinha da voz do aeroporto, pedindo as pessoas pra ligarem pra ele. O voo atrasou por minha causa. Ficaram chamando meu nome... Quase que eu não ia.

Voltei o voo inteiro olhando o mapinha que mostra a localização do avião. Tão triste que nem comi. Só chorava e olhava a tela.

Por que essa mulher fez isso comigo? O celular não vale uma PEDRA DE CRACK.

Agora to lisa, sem internet, sem celular, sem nada. Só lembranças que ficarão na memória, mas que se perderão com o tempo. Aproveitarei este momento para me enclausurar. Me afastar desse mundo cruel de pessoas que furtam pobres.

Roubar pobre não é de Deus.
Postar um comentário