Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

1 de março de 2015

É Lost! Kabum!

Sonhei que estava eu e Danilo na varanda da minha casa em búzios, deitados, cada um em sua rede, ele com um cachorro pequeno e preto (não era um poodle). Em nossa conversa perguntava onde estava a namorada dele, Jully. Era domingo.

Ele respondia que a mesma estava fazendo o trabalho de declarar o imposto de renda dela e de toda a família e por isso não estava lá conosco. "Por que ela deixou tudo pra última hora? Não parece ser ela", eu dizia num misto de tristeza por ela não estar lá e reprovação por não ajudar quem cedo madruga.

No momento seguinte olhava pro céu e via um cometa. Ou assim achava. Não era um cometa: era fogo. Fogo e fumaça. Meus olhos seguiam o rastro para saber sua origem. Nada mais que um enorme avião. Um jumbo, sei lá. Voava bem baixinho, indo em direção ao chão. Eu sabia que ele iria cair. "Danilo, o avião tá caindo!"

Imediatamente saiamos de nossas redes e subíamos no muro para observar melhor. O avião ia em direção ao mar, mas de repente apontou para o chão e KABUM!



Dezenas de casas foram impactadas com a explosão. Sabe aqueles vídeos da bomba atômica explodindo? No sonho foi igual. Primeiro o ar era sugado ao redor da explosão e depois se espalhava em uma rajada de vento, poeira e destroços. Nós observávamos impassivos, quase em slow motion, mas na verdade vinha rápido demais. Parecia uma tempestade de areia. "Se esconde!"

Fomos pra dentro da casa, onde minhas tias assistiam algo na TV. Só tivemos tempo de fechar a porta. O vento era MUITO forte, derrubou várias coisas da casa. Ela ficou totalmente empoeirada, mas ninguém se machucou. Tudo ficou escuro devido a poeira.

Corri para pegar meu celular, mas só encontrei a câmera digital. Precisava filmar tudo aquilo. Um depoimento de alguém que viu a situação acontecendo. Ia por aqui no blog e no YouTube. Pensei também em "vou filmar e tirar fotos do acidentes, vender pros jornais e ficar rico".

Não tive nenhum conflito moral ou ético quanto a esses pensamentos.


Postar um comentário