24 de abril de 2015

A Sensação dos Grandes Deuses

Era uma vez...

No início de 2015 a Riot Games do Brasil anunciou o novo formato do campeonato brasileiro de League of Legends (CBLOL). Aos moldes dos principais campeonatos gringos, teríamos a divisão principal e o circuito desafiante (a nossa Challenger Series).

Julho de 2014.

Em meio a surpreendente vitória da Kabum, o time da CNB evapora: ManaJJ aposenta, Takeshi e Revolta transferem-se para KeyD Stars e Leko vai para paiN Gaming. Resta apenas o suporte, Alocs, para dar conta da reformulação da equipe. Só que não.

Numa decisão inovadora no cenário nacional, a CNB resolve reformular totalmente a equipe, não contando mais assim com os serviços do seu famoso suporte. Alocs está sem time, mas ainda tem lenha para queimar. Para onde ele vai? 

Durante alguns meses nada se sabia sobre o suporte, tendo sempre sido cogitado para ocupar vagas de times tier 1. Eis que em 15 de Janeiro, depois de muitas teorias, a bomba (uma bomba positiva!): em uma entrevista coletiva, a Lenovo, marca chinesa mundial de tecnologia, anuncia seu time de LoL, Big Gods (trocadilho com bigodes), capitaneado por Leonardo Belo. Os detalhes vão surgindo numa torrente: Alocs será o capitão da equipe, foi responsável pela escolha dos quatro membros restantes e a equipe terá uma gaming house.
  
O inicio do hype.


Para compor o grupo que irá disputar o circuito desafiante em busca da vaga no segundo split do CBLOL, Alocs convoca uma promessa das filas ranqueadas para jogar ao seu lado na bot lane, SacyR. Minerva, o jogador mais multitalentoso do Brasil, tendo sido suporte da paiN e participado da campanha histórica da Kabum no CBLOL, International Wildcard e Mundial como ADC, finalmente rem a oportunidade de jogar na rota que mais agrada: a mid lane. Se já não era pouca a confiança que os novos fãs depositavam na equipe, ainda vinha mais surpresa: a jungle e a top lane seriam compostas por dois jogadores coreanos, Nicker e Nexus, cenário que é a nata do League of Legends.


"Esse time vai atropelar todo mundo sem fazer esforço", foi o que pensei. Provavelmente muitos pensaram o mesmo. Como poderia dar errado?

Mas deu. E MUITO!

Cronologia da dispersão.

A Big Gods foi o exemplo empírico de como um time de League of Legends, para conquistar resultados, não depende apenas da mecânica e inteligencia dos seus componentes. Muitos problemas estruturais, fora do jogo, impediram que a equipe tivesse sucesso em sua empreitada.

Menos de um mês depois, no dia 8 de Fevereiro, Minerva deixa a equipe por problemas in game com os coreanos. Na época não havia um técnico na equipe, então, provavelmente, as decisões estratégicas que deveriam ter sido tomadas por este acabavam sendo tomadas pelos jogadores. "Ou eles ou eu" disse Minerva a cúpula da Big Gods. Dada as penalidades envolvidas por trocar jogadores, provavelmente o time preferiu perder um brasileiro do que dois coreanos. Decisão entendível.


Nicker, anteriormente top lane, foi deslocado para o mid. Ranger, outra promessa das filas ranqueadas, ocupou a rota desguarnecida.

A forte concorrência contra IMP e, principalmente, INTZ Red, não estavam nos planos da Big Gods. Ao invés de PASSAR O CARRETO, como diria o celebre narrador Gruntar, era o time dos grandes deuses que ia se arrastando na tabela numa terceira colocação.

Talvez por conta disso, mas certamente com problemas no time e desmotivado, SacyR também deixa a equipe em 11 de Março. Para substituir o AD Carry veio outro novato, ScriptKing.Ainda não tinha se passado dois meses do anuncio da existência do time!


Alocs, coitado, estava sozinho. Duas das pessoas que ele escolheu a dedo não estavam mais presentes. Os coreanos continuavam lá. A esquadra não ia bem no campeonato. As noticias na fanpage escasseavam. A alegria se esvaia e as contestações, eufemismo para HATE, por parte dos fãs tornavam-se mais agudas.

Mas, ok, ainda dava. O time mantinha-se entre os classificados. É só manter a média dos resultados que...

BUM!

Em 30 de março, descontentes e com propostas do exterior, coreanos deixam a Big Gods. Acabou o sonho. Acabou o hype. A Big Gods sofreu uma punição de 100 pontos. A INTZ domina o Circuito desafiante e a IMP vem na cola. KeyD Warriors e O Papai Chegou (também conhecida como Kabum Blue) já ultrapassaram a equipe de Alocs tendo participado de menos torneios!

Na semana seguinte acontece a dispersão completa: em 8 de Abril, o último dos moicanos Alocs, o que havia sobrado do time original, anuncia sua saída.

A sensação nunca começou.


A Big Gods hoje.

- Alocs e SacyR compõe a bot lane da INTZ RED, time campeão do circuito desafiante, que disputará uma vaga para o CBLOL contra a equipe da Jayob.
- Minerva está sem time, porem jogou o circuito desafiante na equipe O Papai Chegou, junto com esa e Ziriguidun, ambos jogadores pertencentes a equipe da Kabum. Disputou uma vaga para posição de mid laner na equipe da CNB, mas perdeu para Yoda.
- Nexus e Nicker, que supostamente tinham propostas de outras equipes, continuam desempregados.
- O time da Big Gods, até o momento, só possui dois jogadores: Ranger e ScriptKing.


Postar um comentário