19 de novembro de 2015

Concurso

Agora que, acredito eu, decidi estudar DE VERDADE para um concurso público, tenho a sensação de que 75% das horas estudadas são apenas de divagações: "o que esse assunto tem a ver com a minha vida hoje?", "como meus futuros hipotéticos alunos podem relacionar isso ao cotidiano deles?" e com base nas respostas que meu eu-mental vai dando, vou criando diversas aulas imaginárias, com começo, meio e fim e continuação no dia seguinte.



Então só sobram 25% de absorção de conteúdo que não chega nem perto das coisas que aprendi na UFRN. Como joguei todas minhas xerox do período universitário fora - BIG MISTAKE!, acabo estudando por livros didáticos e artigos da internet. Por exemplo: em quatro dos livros didáticos, na parte da Mesopotâmia, a única cidade/civilização citada foi a da Babilônia. Eu sou totalmente ALHEIO a esse período e ainda assim lembro que existem milhões de povos por lá, principalmente por causa de Age of Empires: Assirios, Caldeus, Amoritas, Suméria.... e se pouco sabendo, já sei disso tudo, imagine dos períodos que não ligo a minima (Idade Moderna, oi!)

Fico com a sensação de que as divagações me impedem de estudar mais conteúdos naquele dia. Por outro lado, a rotina de estudos vespertino está sendo mantida. Tomara que renda frutos.
Postar um comentário