19 de março de 2014

Cigarro

Me sinto bastante FORA DA LEI quando alguma das minhas tias pedem para comprar cigarro para elas. Percebo o vendedor me julgando e baixo minha cabeça, como um criminoso. "Uma criança dessas fumando, podia ser tão saudável". Elaboro um diálogo imaginário em que digo "mas não é pra mim" e ele responde "aham, cláudia, senta lá". Quando pergunto o preço e o cara diz "7 reais", calculo mentalmente o quanto elas fumam e penso que esse dinheiro estaria melhor em minhas mãos (egoismo).



Só que depois paro de julgar as atividades alheias porque não gostaria que fizessem isso comigo. Certamente se tivesse esse capital em mãos iria diluir em outras atividades e aquela "piadinha" de ter uma Ferrari seria pura balela.

Não-Fumante: - Você fuma?
Fumante: - Sim
Não-Fumante: - Quanto por dia?
Fumante: -  3 maços por dia.
Não-Fumante: - Quanto paga p/ maço?
Fumante:- Cerca de R$ 10,00
Não-Fumante:- Há quanto tempo você já fuma?
Fumante: - Há 20 anos
Não-Fumante: - Um maço custa R$ 10,00 e você fuma 3 por dia o que equivale a R$ 900,00 por mês e R$ 10.800,00 por ano, certo?
Fumante: - É. Olhando por esse lado, está correto
Não-Fumante: - Se em um ano você gasta R$ 10.800,00 sem contar a inflação em 20 anos você gastou R$ 216.000,00, correto?
Fumante: - Correto
Não-Fumante:- Você sabia que esse dinheiro aplicado e corrigido com juros compostos durante 20 anos v. poderia comprar uma Ferrari?
Ai o Fumante pergunta para Não-Fumante :
- Você fuma?
Não-Fumante: Não
Fumante: - Então cadê a sua Ferrari? 
De certo modo creio que já consegui me conscientizar que o cigarro é apenas uma das diversas fontes de prazer da nossa vida efêmera. Tem gente que prefere gastar dinheiro com ingressos para jogos de futebol, shows, cinema ou pipoca bokus. O que eu tenho a ver com isso? Nada.

26 de fevereiro de 2014

Mais uma pequena impressão de um casamento

Dando sequencia ao post anterior... achava que nos casamentos só havia dois casais de padrinhos: um pra noiva e outro pro noivo. Daí fui surpreendido com, sei lá, pelo menos uns SEIS CASAIS DE PADRINHOS. Sempre acreditei que era pra ser duas pessoas especiais para cada um do futuro casal, mas pelo visto estava completamente enganado (ou talvez o casamento que fui era uma exceção).

Por que tantos padrinhos? Para receber presentes melhores no casamento? E depois? Qual é a função de um padrinho de casamento? É apenas simbolismo? E se é apenas simbólica, não perde a distinção serem tantos? NADA FAZ SENTIDO PARA MIM.



Clarisse me chamou pra ser padrinho do casamento dela. Eu tava ME ACHANDO, mas depois disso comecei a pensar na possibilidade de ser APENAS MAIS UM. Fui conversar com ela e, GENTE, continuo especial. Clarisse é uma pessoa fora de série. A madrinha dela será Luana. Ao que parece, as pessoas convidam, geralmente, casais. Felizmente minha amiga destoa, positivamente, do resto da sociedade.

Fiquei pensando: e se a noiva quiser só uma madrinha, sem um padrinho, pode? E se quiser dois padrinhos e nenhuma madrinha? Existe alguma REGULAMENTAÇÃO CATÓLICA/CIVIL para isso? Quantas duvidas!

E NÃO, NÃO SOU CONTRA A TER VÁRIOS PADRINHOS! É certo que durante sua vida há várias pessoas que são sui generis, e quanto mais delas você se cercar, melhor. Só que, né? Algumas são mais importantes e estão mais presentes do que outra. Some isso a minha ignorância/pre-conceito quanto a ter achado DURANTE TODA MINHA VIDA que era possível somente um casal por cônjuge.

Como não penso em casar logo, o que me resta é preparar uma DESPEDIDA DE SOLTEIRA, bem no estilo SE BEBER NÃO CASE.

Fotos

Apaguei meu Facebook lá no comecinho de Janeiro por, basicamente, dois motivos:

a) Tenho (quase) todos os contatos das pessoas com quem CONVERSO no Whatsapp;
b) Não aguentava mais ler o que algumas pessoas postavam por lá (e acredite, cancelei muita assinatura).

Uma das coisas que mais sinto falta da rede social é publicar fotos que EU acho interessantes e irreverentes. Muita gente comentava nelas ou pessoalmente de como tal imagem era legal, que gostavam de algumas reflexões que fazia em relação a elas. Continuo tirando essas fotos, mas publicar aqui no blog não tem tanta repercussão (no sentido de feedback) como lá.

Só que preciso matar essa vontade!


Hoje fiquei pensando e tentando me lembrar como era antes de tudo isso, antes dessa NECESSIDADE DE SE EXPOR. Não consigo recordar. Está tão intrínseco, em meu meio social, esse comportamento, de mostrar as novidades, que simplesmente não tenho mais ideia de como era antes.

(Na foto um gafanhoto).

Tenho essa outra ideia de reunir essas fotos que tiro dos bichinhos e fazer uma EXPOSIÇÃO. Nem que seja só dentro do meu quarto. Acho tão legal tirar do PC e mostrar ao MUNDO (minha casa é meu mundo). 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...