27 de junho de 2017

Fear The Walking Dead

Só para deixar marcado em pedra que Fear The Walking Dead é muito, muito superior a The Walking Dead.

Sério, é muito bom. Ela é tudo que The Walking Dead poderia ter sido e estragaram.

24 de junho de 2017

Aprendendo a pintar paredes

Quando eu era pequeno, ganhei o meu primeiro videogame, um Master System. Jogava bastante com meu pai e minhas tias. Nele aprendi a pintar paredes.

Na primeira missão do jogo dos Flintstones, você controla Fred, o protagonista, numa missão de pintar a parede e cuidar da Pedrita. Fred bota a garota no berço e ela sempre saí de lá para sujar as paredes com as mãos. Fred então tem que por a garota novamente no berço para continuar pintando.

Então aprendi que o certo, segundo os Flintstones, é pintar a parte de cima enquanto a bebezinha só alcança a parte de baixo para sujar. Pinte a parte de cima, deixe o bebê livre e depois, quando faltar apenas a parte inferior, bote a criança no berço para concluir a missão.

Na época eu não sabia disso e mal passava dessa fase. Era a primeira. Eu era muito burro.


20 de junho de 2017

Abas no navegador

Sou famoso (sou?) por deixar várias abas abertas no navegador.

O que acontece é o seguinte: vejo um texto interessante, porem grande demais, deixo aberto para ler quando não estiver fazendo nada. O problema é que nunca estou fazendo nada, mas mesmo assim procrastino a leitura.

O link se mantem lá, todos os dias, um pequeno lembrete da minha inoperância. E depois vem outro e mais outro e outro. Vários links. Várias abas. Até que eu começo a me incomodar.

Quando isso acontece, vou ler o texto. Só que ele não faz muito sentido dias depois. Não o texto em si, mas a motivação de tê-lo aberto.

Quando não é o caso e ainda tenho vontade de ler, mas não naquele momento, adio novamente, só que dessa vez ao invés de deixá-lo perdido entre dezenas de abas, favorito-o.

E esqueço.

Meses depois apago meus favoritos.

Procrastinação.