Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

23 de novembro de 2006

Submarino e Americanas.com anunciam fusão das operações

As empresas de comércio eletrônico Submarino e Americanas.com anunciaram nesta quinta-feira a assinatura de um acordo para a fusão de suas operações. A empresa resultante dessa fusão será denominada B2W Companhia Global do Varejo e será um gigante do comércio eletrônico, com faturamento acumulado nos nove primeiros meses deste ano de quase R$ 1,6 bilhão - R$ 563 milhões do Submarino e R$ 1 bilhão da Americanas.com.

(...)

A fusão se dará por meio de troca de ações.

(...)

A nova empresa vai atuar em diversos canais de distribuição: televendas (com anúncios por televisão e catálogos), televisão, catálogos, quiosques e internet e espera ser capaz de competir com tradicionais empresas de varejo por um mercado estimado em R$ 200 bilhões.

O acordo de fusão ainda será apresentado aos acionistas do Submarino e da Lojas Americanas e precisará ser aprovado em assembléias gerais extraordinárias e por órgão reguladores.

A expectativa é de que a fusão seja concluída até o final de dezembro. Até lá, as duas empresas seguirão com suas operações de forma independente.


Vejam a noticia completa no CorreioWeb.

Não acho que isso deva ser aprovado. Cadê o CADE? Segundo materias que eu li na revista Exame, as Americanas.com lideram as vendas via internet no Brasil, seguido pelo Submarino. Esse monopólio só tende a prejudicar os consumidores.

No monopólio, o fornecedor de produtos pode impor qualquer preço a suas mercadorias ficando, entretanto, sujeito ao nível de vendas dele decorrente. Como geralmente o mercado compra tanto menos quanto maior for o preço, o monopolista fixa o preço que lhe dá maior lucro tendo em vista a relação entre custo e produção. Ao reduzir a produção, o monopolista pode aumentar o preço já que é o único fornecedor. Além disso, se o monopolista não teme a entrada de nenhum concorrente, optará pelo preço que maximize o lucro puxando-o para cima. Se a entrada de um novo concorrente for difícil mas não impossível, o monopolista, por ser o “dono” do mercado, pode optar por fixar um preço suficientemente baixo para desestimular a entrada de qualquer concorrente. Por essa e outras razões, os monopólios não são muito bem vistos por grande parte dos consumidores.
Postar um comentário