Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

2 de janeiro de 2012

Parceiros de Praia

Boa parte das memórias que tenho da minha infância foi na praia de Búzios. Lá eu tinha o que eu chamo hoje de “parceiros de praia”. Eram pessoas que eu encontrava e virava colega na mesma hora. Serviam para várias brincadeiras. Jogar bola, tomar banho de mar, ir nas dunas, brincar de sandboard, nadar na lagoa, andar de bicicleta, jogar dominó, esconde-esconde, tica-cola, tica-trepa, cuscuz, entre outras brincadeiras. Tinha Marcus Vinícius que pedalava comigo desbravando as ruas esquisitas da praia e Dorinha (acho que o nome dela deve ser Isadora, mas nunca a chamamos pelo nome) que as vezes vinha conosco em sua bicicleta rosa com uma cestinha. Tinha Tiago e Tarcísio, os gêmeos que gostavam de pregar várias peças. Havia também João Luís e João Felipe, irmãos, não gêmeos, que jogavam bola na praia. Tinha um negão que a gente também não sabia o nome, mas chamávamos de Buiu. Ele descia de tabua nas dunas conosco. Também tinham pessoas aleatórias nas ruas, mas estas pertenciam a outro mundo: eram as que alugavam a casa por uma temporada, onde se fazia um laço de amizade só naquele veraneio e nunca mais ouvíamos falar das mesmas. Era algo bem sazonal mesmo, serviam pra completar as brincadeiras de esconde-esconde.

Hoje, não sei se é por causa da diversão que tenho em casa (Videogame e PC), ou porque os grupos de praia já vêm formados, mas tenho dificuldades de encontrar alguém pra ser meu “parceiro de praia”. Acabo levando minha prima, mas ela só tem 10 anos, não aguenta nada e algumas coisas podem ser bem arriscadas. Não quero contabilizar a culpa da morte de uma criança, né! Quando descobri que Igor iria comprar uma casa a três quarteirões da minha – uns 10 minutos de caminhada, dado que os quarteirões aqui são bem pequenos – fiquei empolgado! Ele iria BRINCAR comigo e iriamos nos divertir a beça, diariamente!

Só que, apesar de Igor ser mais novo que eu, ele é um CHATO comigo. Sabe aquele filme do Jim Carrey, YES MAN? (LINKAR, se houver)s Pois. Igor é, e falo de um estado transitório, não-definitivo, igual ao personagem que o ator representa antes de aderir a seita lá. Só diz NÃO! NÃO quer jogar bola na praia com estranhos, NÃO quer subir nas dunas, NÃO quer ir à lagoa, NÃO quer fazer nada. No máximo vem aqui (ou eu vou lá) jogar videogame. Pô, isso eu faço em Natal mesmo! :( Fora que essas jogatinas nem demoram tanto, porque quase sempre ele começa a sentir uma coceirinha no pescoço e... não dá outra! É a coleira sendo apertada por Fefa. Quem precisa de amigo quando se tem namorada, né? Se eu tivesse uma, faria DOUBLE DATE, mas não é o caso.

Igor nunca foi o “parceiro de praia” que eu esperava. A função especifica dele é ser amigo nos centros urbanos. Ai sim ele é ótimo. Na praia fico com Batuta, Wagner, Pedro, Luís e Brazão mesmo.
Postar um comentário