Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

1 de setembro de 2012

Loucamente Apaixonados (Like Crazy)

Um outro título em português apropriado para Like Crazy poderia ser "Namorinho de verão". Só que não faria jus a essência da história que, mesmo tendo começado assim, vai muito além.

A história gira em torno de dois adolescentes: Anna, uma intercambista inglesa, e Jacob, um estudante americano. Eles trocam olhares em uma aula na qual Jacob é o monitor e ela decide, com muita cara-de-pau, escrever uma cartinha para ele. Depois que a vergonha de dar o passo inicial é posta de lado, os dois começam a manter conversas diárias e ENAMORAM-SE.


Como toda paixão, o inicio sempre é mais divertido. Porque não se conhece o outro. Então há muitos assuntos a serem falados e nenhum é menos importante que o outro. E até quando ficam em silêncio, não há aquele clima de constrangimento ou a vontade de falar para quebrá-lo. O casal tem muita sintonia e estão sempre a vontade na presença do outro. A tensão amorosa está sempre no ar. Dava pra sentir!

Só que Anna, por estar no intercambio, precisa voltar a Inglaterra para renovar o seu visto, que está para expirar. Lembra aquela comunidade do Orkut "Só mais 5 minutinhos"? Pois é. Anna resolve prolongar sua estadia nos EUA e vivenciar ao máximo a experiência amorosa. Quando não há mais como adiar, ela volta ao seu país


Jacob vai visitá-la pouco tempo depois para matar as saudades. Fazem vários planos juntos. Só que quando Anna resolve voltar aos EUA... lembra o problema do visto? Pois é. Ela só poderia voltar para o país depois de 6 meses, como punição por ter infringido as leis. AÍ COMEÇA O DRAMA.

E é esse drama que vocês precisam assistir. Ficam as perguntas: Eles irão ficar juntos? Será que o amor resiste a distância? Como seguir uma vida em um lugar pensando na vida que poderia se estar vivendo em outro? Como os amigos podem auxiliar? E a família? E quando você conhece a "bagagem" amorosa do outro? Como lidar com os ciumes e todas as outras conjecturas que uma mente apaixonada e fértil pode imaginar? Por que se esforçar tanto por alguém de tão longe quando há alguém por perto que gosta de você?


O romance do casal lembra muito outros dois filmes que vi: Submarine e Paper Heart. Porque rola todos os conflitos "bestas" de um casal apaixonado. Outra coisa bacana são os presentes. Não se dá qualquer presente ao namorad@. Tem que ser algo especifico. Especial. E rola muito isso no filme. Jacob é um design de moveis e cria uma cadeira para Anna. Ela, em retribuição, escreve "O Livro do Amor", onde conta todos os bons momentos do casal desde que se conheceram, com fotos e tudo mais. É lindo. Todos vomitam arco-iris nessa hora.


Algo que achei estranho é que não são mostrados os amigos de Jacob. Ou mesmo sua família (sua mãe). É como se eles nem existissem. Por outro lado, Anna aparece ao lado dos pais, dos amigos, colegas de trabalho... e é estranho, sabe? Porque ela que aparentemente tem uma vida FEITA em Londres, uma rede de relacionamentos, e quer largar tudo para começar uma vida ao lado do namorado. Do zero. Só que Jacob nem cogita morar em Londres. Começou seu próprio negócio e não pretende sair de lá. O trabalho, de certa forma, prende as pessoas ao local de nascimento. Se não há perspectivas de prosperidade em outro canto, as pessoas desistem das mudanças. É o único argumento que utilizo para "defender" Jacob. Ser racional demais. Ou covarde.


Outra coisa que ficou faltando foi a comunicação do casal. Aconteceu muito por telefone e SMS, mas nem falaram da internet. Veja que eles tinham o problema do fuso horário e acredito que a internet serviria como ferramenta para manter o contato diário. Ou talvez isso só provocasse ciumes, sei lá.

Senti muita empatia pelos dois, dá pra perceber a dor deles quando estão longe e como se esforçam para tentar seguir com a vida. Mas é aquela coisa, né? Não dá para simplesmente esquecer o outro. Quer dizer, em outros filmes dá, como BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS ou VANILLA SKY, mas (in)felizmente não é o caso desse. Como lidar?


Por fim, mesmo sem você saber o final, a última pergunta que fica é: VALEU A PENA TODA ESSA PAIXÃO?

Recomendo muito assistirem. Já tá na minha lista de filmes favoritos. Obrigado por te recomendado, Yuffie!
Postar um comentário