24 de fevereiro de 2013

Namoro quântico

Em uma conversa ATÍPICA com Danilo, Jullymara e Túlio, falávamos sobre física. Por alguma razão bizarra pensava sobre como as coisas eram pequenas e como os cientistas conseguiam descobrir mais e mais divisões de algo ÍNFIMO. Me refiro ao átomo.


Eu não lembrava em como o átomo era dividido. Eles me esclareceram que, atualmente, era elétrons  prótons e nêutrons, mas havia mais: prótons e nêutrons eram compostos de quarks!

O assunto voltou aos elétrons. Fomos discutir o principio da incerteza de Heisenberg que diz, a grosso modo, que é impreciso fazer medições simultâneas em dois objetos iguais. Vou colar o exemplo análogo da Wikipedia, este grande repositório de conhecimento.
Para se descobrir a posição de uma bola de plástico dentro de um quarto escuro, podemos emitir algum tipo de radiação e deduzir a posição da bola através das ondas que "batem" na bola e voltam. Se quisermos calcular a velocidade de um automóvel, podemos fazer com que ele atravesse dois feixes de luz, e calcular o tempo que ele levou entre um feixe e outro. Nem radiação nem a luz conseguem interferir de modo significativo na posição da bola, nem alterar a velocidade do automóvel. Mas podem interferir muito tanto na posição quanto na velocidade de um elétron, pois aí a diferença de tamanho entre o fóton de luz e o elétron é pequena. Seria, mais ou menos, como fazer o automóvel ter de atravessar dois troncos de árvores (o que certamente alteraria sua velocidade), ou jogar água dentro do quarto escuro, para deduzir a localização da bola através das pequenas ondas que baterão no objeto e voltarão; mas a água pode empurrar a bola mais para a frente, alterando sua posição. Desta forma torna-se impossível determinar a localização real desta bola pois a própria determinação mudará a sua posição. Apesar disto, a sua nova posição pode ser ainda deduzida, calculando o quanto a bola seria empurrada sabendo a força das ondas obtendo-se uma posição provável da bola e sendo provável que a bola esteja localizada dentro daquela área.
Ou seja: não dava para prever nada com certeza.

Pulamos então para o assunto sobre comportamento dos elétrons. Que pode se comportar tanto como ONDA como por PARTÍCULA (conhecida como dualidade onde-partícula)



E aí veio o grande PULO DO GATO, O FIO DA MEADA, A PRESENÇA DE ESPÍRITO: a analogia com os RELACIONAMENTOS. Tudo contido na seguinte pergunta: como as pessoas com que você se relaciona agem quando não estão na sua presença? será do mesmo modo? será que não?

A isso chamamos de NAMORO QUÂNTICO, mas pode ser amizade quântica, ou qualquer coisa quântico.


E é isso. Tudo é "Namoro Quântico".

Pra finalizar, fique com este link curioso que mostra as escalas de tamanho e distância de tudo que há no planeta Terra e fora dele. Dá pra comparar o tamanho de uma MITOCÔNDRIA com um fio de cabelo ou a distância do SOL até ANTARES. Clique! Sério!
Postar um comentário