Dias Comuns

qualquer coisa aleatória que passa na cabeça

20 de dezembro de 2013

Por que compro jogos se não os jogo? - Parte 1

Steam, pra quem não sabe, é um programa de computador criado por uma empresa, a Valve, com o intuito de combater a pirataria (e ganhar dinheiro, ÓBVIO). Reúne um catalogo ENORME de jogos de diversas produtoras e está sempre fazendo promoções dos mesmos. Promoções mesmo! Jogos abaixo de 10 reais e jogos BONS! Vale a pena utilizá-lo.

Sabendo disso...

Essa imagem mostra os jogos que possuo na Steam (comprados, dados de presente ou de graça)

Todo mundo se considera o centro do universo. Tudo que acontece gira em torno de nós e nós sempre somos melhores que os outros ou temos as desculpas esfarrapadas para nossos fracassos. Por pensar que sou diferente dos demais, me peguei pensando nos amigos que tem videogames e vivem comprando jogos (ORIGINAIS) todo mês, sem nem mesmo terem zerado os que já possuem. "Não vou ser como esses caras", penso. Logo em seguida entro na minha conta do Steam e vejo que existem mais de 10 games que COMPREI e nem os joguei, apenas "abri pra ver como é".  Pra se ter uma ideia, o jogo que mais gastei minhas horas é Rusty Hearts. Um MMO infinitográtis.

Me pergunto então: por que compro jogos se não os jogo?

A primeira resposta que me vem a cabeça é uma outra pergunta: por que eu compro? Afinal, provavelmente, esses jogos existem na internet para baixar. PIRATAS, claro, mas ainda assim existem. Então quais as vantagens que a Steam oferece que me IMPELEM a adquirir o original?

- Jogos de graça, jogos baratos e jogos legais: sem bons jogos, não haveria sucesso. São baratos de verdade (em comparação com os jogos "físicos", aqueles do mercado tradicional, com caixinha, manual do jogo, etc), sem esse lance de promoções falsas que lojas físicas fazem por aí. Um exemplo abaixo: 17 jogos do Sonic por R$25,00. Até jogos que não estão em promoção são mais baratos que os oficiais para os consoles!


- Sem complicação de ir atrás de crack, serial ou até mesmo o jogo dar erro: os males da pirataria são que, vez por outra, o jogo não roda. Outros problemas podem acontecer, tais como: faltar algum arquivo .dll, o serial pirata não funcionar (idem pro keygen) e o arquivo executável, que era pra ser um crack, é apenas um vírus. No Steam é só baixar e rodar. Fim.

- Um único gerenciador para os jogos: caso seu computador EXPLODA, você pode baixar o Steam em outro aparelho e baixar os jogos novamente, sem necessidade de VASCULHAR a internet atrás de jogos ou ficar dependendo de torrents sem seeders

- Facilidade em jogar com múltiplos jogadores: o multiplayer fica mais fácil quando não é necessário instalar nenhum aplicativo de terceiros (estou falando de você, HAMACHI).

- Modo offline: não é necessário acesso a internet para rodar os jogos para um jogador (single player), desde que o game esteja plenamente atualizado.

- A rede social do Steam: nela os jogadores compartilham opiniões e conhecimentos, imagens de jogos, notas dos mesmos, podem se comunicar por chat ou por voz. A plataforma ainda compila informações pessoais sobre os games (horas jogadas, conquistas desbloqueadas, recomendações, etc). Para quem tem, em sua maioria, amigos gamers, pode deletar o perfil do Facebook tranquilamente que não irá sentir falta.

- Possibilidade de salvar os progressos nos jogos na nuvem (caso seu computador EXPLODA novamente).

- Não tem perigo de perder o jogo em uma ENCHENTE ou em um INCÊNDIO, diferente das mídias físicas.

- É limpinho e é legal (dentro da lei).

Estas são algumas das vantagens que consegui compilar sobre o Steam em relação a jogos piratas, mas ainda assim não consegui responder a pergunta inicial: "por que compro jogos se não os jogo?".

Na segunda parte deste post, irei abordar a questão do consumismo. Será que eu compro apenas por que está barato?
Postar um comentário