1 de julho de 2014

Sleeping Dogs

Tentando diminuir um pouco o meu vício em League of Legends, resolvi tomar uma ATITUDE: só o jogaria se estivesse em uma equipe completa, para evitar o estresse de contar com pessoas aleatórias. Nada mais de partidas ranqueadas SoloQ, exceto quando fosse absolutamente necessário (a cada 28 dias, acho, para evitar perder Pontos de Liga). Caso não apareça um time, jogo uma partida contra os bots e ganho a primeira vitória do dia.

Essa BRECHA em meu HORÁRIO permitiu que eu finalmente tomasse vergonha na cara e arranjasse um emprego usufruísse das DEZENAS de jogos que comprei nas promoções do Steam.


Por qualquer motivo inexplicável escolhi Blessing Gods Sleeping Dogs. Catei uma tradução qualquer do jogo e fui me aventurar.

Pra quem não conhece, Sleeping Dogs é um jogo do gênero ESTILO GTA: mundo aberto, matança desenfreada de pessoas (se você assim desejar), roubo de carros ininterruptos (se você assim desejar), espancamento de transeuntes (se você assim desejar), missões aleatórias que mesclam ASSASSINATOS com PEGUE O BOLO DE CASAMENTO NA CONFEITARIA.

Um jogo igual nossa vida real: cheio de caos.


E o que ele tem de diferente em relação aos GTA da vida? NÃO SEI! Não tenho muito conhecimento sobre GTA e afins :( Mas posso contar algumas coisas que me chamaram atenção.

A história, por exemplo, NÃO SE PASSA NOS EUA. Isso, por si, já é um choque. O personagem caminha na rua, os pedestres falam e não é possível entender nada (pra quem tem noção de inglês, nem dá pra ouvir AS FOFOCAS). Isso porque os eventos ocorrem em Hong Kong!

Quando dirigir, lembre-se da INGLATERRA: o volante é do lado direito e a direção na mão esquerda!

Wei Shen, o protagonista, é um policial infiltrado com o objetivo de desmontar uma organização criminosa. Sendo um AGENTE DA LEI, matar pessoas ou destruir patrimônio público faz com que seu placar diminua.


Wei também pode saltar de uma moto em movimento para outro carro em uma perseguição: coisa de cinema! Soltei um "QUE MENTIRA!" quando executei tal PERFORMANCE.

O que mais me chamou a atenção foram as lutas: as sequências de combo, a PLASTICIDADE e a possibilidade de agarrar o adversário e arremessá-lo no cenário. É muito bonito! Principalmente quando as cenas ficam em slow motion.






No geral estou curtindo bastante o jogo. A história não é de muita originalidade, mas ainda assim é bem contada. Como sou bem metódico em relação a games, estou focando nas missões secundárias para, só então, desfrutar da principal, zerando o jogo e desbloqueando todas as conquistas. 

Sem estresse e com calma. Diferente do League of Legends.



Postar um comentário